Enquanto Porto Alegre estimula o uso do automóvel…

Fim da tarde na Av. Independência - Foto: Cesar Cardia

Fim da tarde na Av. Independência – Foto: Cesar Cardia

400 ppm de CO2 na atmosfera: estamos no limite

Pela primeira vez, em 3 milhões de anos, observatórios internacionais registraram um volume recorde de gases estufa na atmosfera. A Terra registrou 400 partes por milhão de dióxido de carbono, um nível considerado limite pelos cientistas para evitar os piores cenários do clima. Segundo o painel intergovernamental de mudanças climáticas da ONU, acima de 400 ppm de CO2 a temperatura média do planeta poderá subir entre 2 e 6 graus centígrados até o final deste século. Entre as muitas consequências previstas estão a aceleração do degelo, tempestades mais violentas, graves impactos sobre a biodiversidade e milhões de refugiados ambientais que terão que buscar um outro lugar pra viver.

http://www.mundosustentavel.com.br/2013/08/400-ppm-de-co2-recorde-historico-na-atmosfera-reprise/

David Roberts/Screen capture – Fonte: TreeHugger

ONU alerta que concentração de 400 ppm de CO2 deixa planeta Terra em perigo

A concentração de CO2 na atmosfera, que superou pela primeira vez as 400 partes por milhão (ppm), coloca o planeta em uma “zona de perigo”, advertiu nesta segunda-feira a encarregada das Nações Unidas para o Clima, Christiana Figueres.

“Com 400 ppm de CO2 na atmosfera, superamos o limite histórico e nos encontramos em uma zona de perigo”, disse Figueres em um comunicado publicado em Bonn (Alemanha). “O mundo tem que acordar e notar o que isto significa para a segurança dos seres humanos, para seu bem-estar e seu desenvolvimento econômico”, acrescentou.

Um observatório situado no vulcão de Mauna Loa, no Havaí, registrou na quinta-feira passada uma concentração de CO2 de 400,03 ppm, informou a agência oceânica e atmosférica americana (NOAA).

Embora se trate de uma medida pontual, a média anual de 2013 sem dúvida superará os 400 ppm que, segundo os especialistas, é um valor simbólico que marca uma tendência preocupante do planeta rumo ao aquecimento.

Em 2009, a meta estabelecida pela comunidade internacional era manter o aquecimento global a uma elevação máxima da temperatura de +2°C com relação aos níveis anteriores à era industrial. Se estes 2ºC forem superados, os cientistas consideram que o planeta entrará em um sistema climático marcado por fenômenos extremos.

Com uma média anual de 400 ppm de concentração de CO2, o aquecimento global previsto será de pelo menos 2,4°C, segundo o último relatório do Painel Intergovernamental da ONU sobre Mudanças Climáticas (IPCC). E as perspectivas são pessimistas: as emissões de CO2 na atmosfera não param de crescer e se a tendência se mantiver, a temperatura pode aumentar entre 3º e 5°C.

Figueres assegurou que “ainda há uma oportunidade de evitar os piores efeitos das mudanças climáticas” e fez um apelo à comunidade internacional para que dê uma “resposta política capaz de enfrentar este desafio”.

O próximo grande encontro será a cúpula climática da ONU, em 2015 na França. Mais de 190 países concordaram em assinar um acordo global que limite as emissões de gases de efeito estufa de todos os países.

Mas estas negociações, que envolvem os grandes poluidores do planeta, com China e Estados Unidos à frente, não serão fáceis. A última tentativa para estabelecer um acordo deste tipo – Copenhague, em 2009 – fracassou.

A última vez que o planeta registrou uma concentração de C02 na atmosfera superior às 400 partes por milhão (ppm) foi entre 3 e 5 milhões de anos, durante a era do Plioceno. A temperatura na época era de 3° a 4°C superior à atual.

“Estamos criando um clima pré-histórico no qual a nossa sociedade terá que enfrentar riscos enormes e potencialmente catastróficos”, advertiu no final da semana passada Bob Ward, diretor de comunicações do Instituto de Pesquisas Grantham sobre Mudanças climáticas e Meio Ambiente, da London School of Economics and Political Science.

Um estudo publicado no domingo alertou para os efeitos previstos das mudanças climáticas na biodiversidade. Segundo especialistas, se a tendência atual se mantiver, o espaço propício para a existência de mais da metade das espécies vegetais e de um terço das espécies animais será reduzido em 50% até 2080.

http://www.cidadessustentaveis.org.br/noticias/onu-alerta-que-concentracao-de-400-ppm-de-co2-deixa-planeta-terra-em-perigo

Charge: Koostella - Fonte: GRAFAR

Charge: Koostella – Fonte: GRAFAR

Na National Geographic:

Climate Milestone: Earth’s CO2 Level Passes 400 ppm

Greenhouse gas highest since the Pliocene, when sea levels were higher and the Earth was warmer.

TreeHugger:

CO2 levels in atmosphere reaching 400ppm for first time in 3 million years

Going up, dangerously higher…

Anúncios

Um pensamento sobre “Enquanto Porto Alegre estimula o uso do automóvel…

  1. O CO2 é uma espécie de Geni (da música do Chico), tem coisas bem piores como poluição do que o CO2, por exemplo, particulados.
    .
    Esta história do CO2, mais me parece algo para dividir a culpa do abuso que se faz com a natureza do que levantar um problema real.
    .
    Há 17 anos que a temperatura da Terra não sobe, porém as geleiras estão diminuindo, muitos atribuíam isto ao aquecimento global, hoje já há vários trabalhos mostrando que o fenômeno é um produto do aumento do “negro de fumo” na atmosfera (aumenta a temperatura junto as partículas), ou ao desmatamento.
    .
    Construir uma barragem para produzir energia elétrica é considerado por muitos (que não fazem cálculos direito) uma forma de aumentar os gases de efeito estufa, mas esquecem que é o meio menos poluidor de se gerar energia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s