Cidadãos conectados: A Revolução das Vozes Alternativas

Movimento em Defesa da Rua Gonçalo de Carvalho conseguiu muitos apoios usando a internet - Foto: Amigos da Rua Gonçalo de Carvalho

Dissertação de mestrado aborda os casos da preservação da “Rua Gonçalo de Carvalho” e do NÃO ao “Pontal do Estaleiro”.

Em uma excelente dissertação de mestrado a autora, Claudia Galante*, identifica como as modernas ferramentas de informação e comunicação tiveram papel fundamental em quatro casos estudados: o Movimento Zapatista, a Noite dos Celulares, a luta pela preservação da Rua Gonçalo de Carvalho e o NÃO ao projeto Pontal do Estaleiro.

Resumo:

As tecnologias da informação e comunicação (TICs) tornaram possível o aparecimento de um ambiente interativo, cooperativo e descentralizado, desenhando perspectivas ousadas nas relações entre pessoas, comunidades e governos. Atualmente, as manifestações sociais, organizadas com o apoio dessas tecnologias, podem se fazer ouvir e ter suas reivindicações atendidas em um ambiente até então permeado por uma mídia de massa vertical, que sempre falou em nome de uma minoria para uma maioria, sem qualquer possibilidade de interação. O uso dessas ferramentas pela sociedade civil traz profundas transformações para a ação coletiva contemporânea, e assim, o objetivo deste trabalho é discutir como, e até que ponto, esta nova realidade possibilitará a participação dos cidadãos nos processos democráticos. Para tanto, buscou-se primeiramente refletir sobre o processo de comunicação e sua relação com a sociedade, como se configura o ciberespaço, as possibilidades por ele oferecidas e suas implicações nos movimentos sociais.

Foram elaborados quatro estudos de caso: “Movimento Zapatista”, “A Noite dos Celulares”, “Rua Gonçalo de Carvalho” e “Pontal do Estaleiro”. Eventos com motivações, contextos, abrangência e formas de atuação bem diferentes, que através de trocas de informação disseminadas no ambiente online foram capazes de mobilizar a adesão dos cidadãos em torno de projetos de interesse comum. Os impactos sociais e políticos dessa comunicação mostram que apesar de restrições estruturais, o uso das tecnologias permite formas inovadoras de exercício da democracia. O trabalho demonstrou que as TICs podem ser pensadas como um “ciberespaço público”, sem no entanto atribuir a sua mera existência a promessa de uma sociedade mais democrática.

O vídeo pedindo o Não ao Pontal, produzido pela Casa de Cinema de Porto Alegre

Abstrac:

Information and communications technologies (ICT) have allowed the emergence of an interactive, collaborative and decentralized environment, bringing together audacious perspectives in relationships among people, communities and governments. Nowadays, social events organized by ICTs supports have their claims attended in environment that before it was permeated by a vertical mass media. Media which has always spoken on behalf of a minority to a majority, without interaction possibilities. The use of ICTs tools by civil society brings huge changes to the contemporary collective action. Then main challenge of this work is to discuss how and whither this new reality will allow the people participation in democratic processes. For this purpose, we first think about the communication process and their relation with the society. We also consider the way in which the cyberspace is configured, its possibilities and its implications for social movements.

We have specified four case studies: “Zapatista Movement”, “Night of cell phones”, “Gonçalo de Carvalho Street”, and “Shipyard Pontal”. All this events have motivation, context, scope and ways of acting different once that through information exchanges spread in the online environment allowed mobilize people around projects with common interest. The social and political impacts of this communication have shown that despite structural constraints, the use of new technologies allow innovative ways of exercising democracy. Our work prove that ICTs can be thought as a “public cyberspace”, without assign its mere existence for the promise of the a more democratic society.

*Claudia Galante é mestre pelo Programa de Pós-graduação em Psicologia Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, na linha de pesquisa Ideologia, Comunicação e Representações Sociais. Especialista em Marketing pela FAE (PR) e graduada em Comunicação Social pela PUC-PR. Atualmente atua no departamento de comunicação social do Instituto Federal da Bahia (IFBA) Campus Camaçari. Tem experiência na área de Comunicação e interesse nos seguintes temas: mídia, democracia, cibercultura e interações. (Lattes)

Para ler ou baixar o trabalho da Claudia Galante (documento em PDF) clicar:

Página da UFRGS (para abrir ou baixar o arquivo existe um link no final do texto) ou aqui.

Via Blog Amigos da Rua Gonçalo de Carvalho

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s