O que importa é a pessoa?

Os contêineres da ignorância

Os novos contêineres de lixo - Foto de Eduino de Mattos

12/07/2011 - Implantação do Primeiro Contêiner da Coleta Automatizada do Lixo. Foto: Ricardo Giusti/PMPA

A prefeitura municipal de Porto Alegre decidiu implantar a “Coleta Automatizada de Lixo“, inicialmente no Centro Histórico e mais dez bairros ao redor: Bom Fim, Cidade Baixa, Farroupilha e parte do Menino Deus, Praia de Belas, Azenha, Santana, Rio Branco, Moinhos de Vento e Floresta.

Trata-se de um sistema de coleta de lixo orgânico domiciliar, mas para muitos cidadãos isso foi muito mal explicado, pois os contêineres estão sempre cheios e não apenas com lixo orgânico, também existe muito lixo reciclável sendo depositado nos contêineres. A idéia não é ruim, na verdade é muito boa, pois um dos grande problema da cidade é o acúmulo de sacos plásticos com lixo nas calçadas esperando a coleta. Basta cair uma chuvarada para que muitos desses sacos com lixo sejam levados pela água até os bueiros e então bloqueiam sua entrada, causando muitos alagamentos.

O temor da prefeitura inicialmente era o vandalismo que poderia ocorrer, como depredação e queima dos contêineres de plástico. Isso já ocorre em outras cidades que já tem esse sistema em funcionamento e como cada contêiner custa aproximadamente 4 mil reais, era a grande preocupação do executivo.

O mais importante, porém, a prefeitura esqueceu de dar maior atenção: explicar claramente para que se destinava e como o cidadão deveria usar os contêineres. Resultado: a grande maioria da população dos bairros contemplados com a “coleta automatizada” desconhece que eles são destinados apenas para lixo orgânico. Outra falha do sistema é que não há recolhimento diário do lixo e como estão colocando lixo reciclável (que faz muito volume) além do orgânico nos contêineres eles normalmente estão sempre cheios e com sacos de lixo em volta.

Contêiner de lixo na João Telles, próximo da Av. Osvaldo Aranha - Foto: Cesar Cardia

A colocação de contêineres de lixo nas calçadas, em algumas ruas, mostra também a preocupação que nossa prefeitura tem em tirar espaço para os pedestres para não prejudicar o espaço dos automóveis.

Contêiner na calçada. Bairro Bom Fim - Foto: Cesar Cardia

O cidadão comum ignora que os contêineres devem ser usados apenas para o lixo orgânico e o executivo municipal ignora sua obrigação de fazer a coleta diária e de esclarecer convenientemente a população sobre a separação de lixo, seu acondicionamento e o uso adequado dos contêineres.

Atrapalhando o trânsito de pedestres - Foto de Eduino de Mattos

Talvez nossos atuais administradores devam dar uma olhadinha para o passado, aí descobrirão uma antiga administração (e no tempo da ditadura) que até usou a frase “Aqui o que importa é a pessoa” como slogan para

Centro Histórico (2010) - Foto: Cesar cardia

seu governo. O prefeito nomeado da época, Guilherme Socias Villela, fez muito para que seu “slogan” não soasse vazio. Criou a primeira Secretaria Municipal do Meio Ambiente, pioneira no Brasil. Foi o autor da Lei do Impacto Ambiental, que dispõe sobre a prevenção e o controle da poluição do meio ambiente no município.

Incentivou de maneira exemplar a criação de Parques e Praças, entregando à população o Parque Marinha do Brasil e o Parque da Harmonia, hoje rebatizado como Maucício Sirotski Sobrinho. Mas não ficou só nisso, também foram abertos o Parque Vinte de Maio e o Parque Mascarenhas de Moraes, além de 35 novas praças e feitas ampliações no Parque Moinhos de Vento e no Parque Farroupilha, totalizando o plantio de 1,15 milhão de árvores em oito anos de governo.

Brique da Redenção - criado na administração Villela. Foto de Cesar Cardia

Como “o que importava era a pessoa”, entregou obras como o Centro Municipal de Cultura, onde se situam o Teatro Renascença, a Sala Álvaro Moreyra, o Ateliê Livre e a Biblioteca Pública Municipal Josué Guimarães. Foi também o responsável pela conclusão de 15 mil casas no complexo habitacional da Restinga. Criou as Linhas Transversais de ônibus (Linhas Ts); da Tarifa Social (tarifa única) do sistema de transporte de ônibus; do sistema de Taxi-Lotação contando, ao final do período, com uma frota de ônibus renovada (idade média de 4 ½ anos).

Fez tudo isso (e muito mais) sem ter sido eleito, foi nomeado pelo regime militar!

Mas temos que reconhecer que hoje, mesmo vivendo um regime democrático, a nossa prefeitura e a maioria de nossa Câmara ignoram que a cidade só existe porque existem pessoas que vivem  nela.

Atualmente em Porto Alegre, “o que NÃO importa é a pessoa”.

Porto Alegre vive uma "embriaguez" da Copa do Mundo

Faz algum tempo que o “foco” da administração pública não é mais a qualidade de vida das pessoas. Obras são tocadas apenas pensando em “marketing” eleitoral, na visibilidade da Copa do Mundo, mesmo que tenham que rasgar o Plano Diretor, alterar regimes urbanísticos, deslocar populações pobres para a periferia da cidade, sempre pensando em beneficiar grandes grupos econômicos, normalmente ligados à construção civil e sempre sem importar-se com o que tem que ser o objetivo principal de uma administração pública e de uma Câmara de Representantes: as pessoas.

Nossas calçadas são praticamente intransitáveis, mas elas não são para os automóveis, devem pensar eles, são apenas para as pessoas e agora também para contêineres de lixo…

Foto de Eduino de Mattos

Há um total desestímulo ao uso de transporte público, logo as ruas estão entupidas de carros. Há um intencional esvaziamento das Regiões Gerais de Planejamento (RPs) para que todos os projetos especiais, que não estão totalmente de acordo com o Plano Diretor da cidade, sejam aprovados à revelia do que pensem as populações que são diretamente afetadas por esses “projetos especiais”.

Reunião do CMDUA em 25/5/2011 - Foto: Cesar Cardia

Reunião da RP1. O esforço dos cidadãos pouco vale, a prefeitura os ignora - Foto: Cesar Cardia

Material criado em 2006 pela AMABI.

Calcula-se que apenas UM em cada QUATRO cidadãos separem seu lixo para destiná-lo à coleta seletiva. Em 2006 a AMABI (Associação dos Moradores e Amigos do Bairro Independência) produziu um panfleto que foi distribuido em cópias xerox e pela internet sobre o Lixo Reciclável, a sugestão foi enviada aos poderes públicos para fazerem algo similar mas nada foi feito. Então o que faz a prefeitura sobre isso? Nada! Talvez seja melhor culpar a ignorância do cidadão do que gastar parte de sua verba de propaganda para educar e esclarecer melhor as pessoas, como está ocorrendo com o mau uso dos contêineres de lixo. Pois uma população menos ignorante pode ser muito mais exigente para com seus administradores e representantes. E isso, é perigoso para muita gente e muitos interesses…

Av. Independência, entre o complexo hospitalar Santa Casa e o Colégio Rosário - Foto: Cesar Cardia

 Atualização em 30/julho/2011:

O jornalista Antônio Carlos Macedo (da RBS) cita o panfleto sobre a separação do Lixo, produzido pala AMABI em 2006, como um exemplo a ser seguido pela prefeitura.

Coluna do Macedo no jornal Diário Gaúcho do dia 27/7/2011:

Colunista cita material de Associação de Moradores como exemplo.

10 pensamentos sobre “O que importa é a pessoa?

  1. Acho esse sistema de coleta excelente. Acontece que tem que ter, em primeiro lugar, um contênier pra cada tipo de lixo, reciclável e orgânico, e um separado pra vidro. Em segundo, ele não deve estar em cima da calçada atrapalhando os pedestres, mas na rua, ocupando a vaga de um carro. E, por último, deve ter frequência para não acumular lixo. O contêiner é fantástico, o uso é que está inadequado. É muito melhor o contêiner que o lixo na rua.

  2. Ao Porto Alegre Resiste

    Parabéns pelo excelente texto e fotos acerca do assunto contêineres!

    Estão perfeitas as argumentações!

    Oxigenou, também, a memória histórica da cidade relembrando uma admistração que realmente importou-se “com a pessoa”!

    Atenciosamente,

    Sandra.

  3. PARABÉNS PELA MATÉRIA !

    * sou totalmente favorável a uma PRÁTICA MECANIZADA RÁPIDA E EFICIENTE na coleta do lixo na área central, pontos que NÃO EXISTE CONCORDÂNCIA : tirar o espaço dos pedrestes, a não separação dos resíduos, o tempo de recolhimento, (existem áreas que a coleta deve ser com tempo mais curto) os locais de postagem dos CONTAINERs,(deve ser avaliado) OBS. este tipo de CONTAINERs não são adequados, pois crianças ou pessoas com pouca altura ficam com o acesso prejudicado,(estes devem ser um pouco mais baixo)

    * * GUILHERME SOCIAS VILLELA.

    sabem quem este EX PREFEITO DE PORTO ALLEGRE consultou para sua gestão em porto alegre para que A PRIORIDADE FOSSE A PESSOA ?

    JOSÉ LUTZENBERGER.

    – NÓS DAS REGIÕES DE PLANEJAMENTO, (RGPs deveria-mos convida-lo
    para um encontro, pois eu acompanhei seu empenho BANCANDO O GOVERNO FEDERAL para a implantação do segundo parque mais importante desta cidade, O PARQUE MARINHA DO BRASIL.(entre outros)

    Eduino de Mattos
    Conselheiro do CMDUA/RGP-07
    (plano diretor urbano e ambiental de porto alegre)

  4. Parabéns Poa Resiste!
    O que mais impressiona, ao longo desse processo de tentativa de “humanização” da cidade, foram os erros estratégicos cometidos pela falta de foco do Executivo Municipal em programas voltados ao estímulo da cidadania.
    Um dos maiores problemas relacionados ao serviço público de Porto Alegre, fora os endêmicos que extrapolam a seara Municipal e dizem respeito também ao Executivo Estadual, como a segurança pública, é a coleta de lixo.
    Das licitações fraudulentas até a supressão completa da lixeira verde (lixo seco) junto a lixeira laranja (lixo orgânico) nas ruas, expondo um descaso vergonhoso com a continuidade das políticas públicas voltadas a Eduação Ambiental, uma marca registrada da cidade de Porto Alegre.
    E, para completar, o investimento em uma campanha errática desde o nascimento chamada Novo Sinal, com a proposta de instituir um novo comportamente ao pedestre, quando o alvo principal deveria ser justamente o motorista. Em que pesquisas se basearam sobre estatística de atropelamento nas faixas de pedestres para inventar essa campanha? Enquanto isso, Porto Alegre está cada dia mais suja às vésperas de receber os tais grandes eventos e obras para maior atração do turismo.
    Se esse investimento, e outros, tivesse sido feito em campanhas para Educação Ambiental com ênfase na questão da reciclagem de lixo e descarte correto, certamente não estaríamos assistindo esses fatos lamentáveis.
    Forte abraço

    João Volino Corrêa
    Sociólogo
    Presidente AMA

  5. Pingback: Linha 2014 « Cão Uivador

  6. É, sem dúvida, uma inesgotável fonte de informações urbanas. Não as analisei detalhadamente tendo em conta que há muito deixei de tratar de assuntos de nossa querida Cidade e hoje dedico-me a outras atividades.
    Saudações,
    Guilherme Socias Villela
    Ex-prefeito de Porto Alegre.

  7. Olha eu aqui de novo para incomodar.. haha..
    Fazia tempo que não lia o blog.
    Olha, não da pra julgar a prefeitura sobre os lixos, eles distribuiram panfletos e saiu em varios meios de comunicação que os conteiners eram só para o lixo organico, infelizmente, a população com sua preguiça, que até separa o lixo, não se presta a deixar ele na rua, até por que, antes por dentro dos conteiners do que deixar atirado para que os catadores façam mais bagunça.
    Infelizmente, os conteiners não são projetados pra isso, a prefeitura deveria ter posto os dois tipos, um para o lixo organico e outro para o inorganico, mas como é um teste, ainda não chegou neste ponto.

    Mas deu uma grande melhorada, mesmo com o pessoal colocando o lixo esco, as ruas ficaram mais limpas nas regiões onde colocaram eles.

    Só falta um conteiner verdezinho com aquele logotipo sobre materiais reutilizaveis… mas acho que vamos esperar um tempo.
    Ja ta mais do que comprovado que isso da certo.
    Sobre ocupar espaço nas calçadas, realmente, tem algumas que a prefeitura errou, aqui em frente ao meu trabalho é sem problemas, colocaram na rua mesmo, no lugar de uma vaga de carro, alias, varios foram colocados em lugares assim, o problema é que tem ruas que não tem como, na Farrapos mesmo, tinha um logo depois de uma curva, qualquer desatento pode bater com o carro nele se não tomar cuidado… a prefeitura sabe criar armas para os motoristas, e atrapalhar o ja complexo transito.. (pra vocês que odeiam carros isso é ótimo né?)

    Mas tem ruas que não vejo o por que, na 7 de setembro perto do Santander, colocaram um na calçada, eu que ja não gosto de andar a pé, fico estressado com aquele povo na minha frente (acreditem se quiser, no carro eu sou a maior calmaria do mundo, alias, ate mesmo quando algum desatento quase me faz bater no carro dele por ele não ver o retrovisor, eu não me estresso.. haha..).. junta isso com um conteiner atrapalhando e um monte de catador fechando tudo… Por que não colocar na rua? Ainda mais na 7 de setembro que não tem movimento algum….
    Outra coisa que acho interessante, por que a prefeitura não faz meio que um puxado da calçada para a rua para por os conteiners sem atrapalhar os pedestres?

    E sobre o vandalismo, isso é questão politica, sem querer defender o Fortunati, mas todo mundo sabe que qualquer coisa que envolva a prefeitura ou o governo envolve dinheiro, alguem vai perder dinheiro com essa coleta e não ta gostando disto.

    Esse é o povo politizado que tem no RS….
    Se fosse vandalismo, iriam quebrar e pixar, não tocar fogo.

  8. Pingback: Linha 2014 | Cão Uivador

  9. Pingback: Perigo ambiental nos contêineres de lixo « Porto Alegre RESISTE!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s