Atualmente no Rio Grande, cultura é caso de polícia.

Da Rádio Guaíba:

13/11/2010 00:30

Escritora realiza performance na Feira do Livro e é retirada por policiais

Expositores reclamaram da apresentação e chamaram a Brigada Militar

Uma ocorrência policial marcou a Feira do Livro de Porto Alegre na noite dessa sexta-feira. A poeta e escritora Telma Scherer, de 31 anos, realizava uma intervenção artística na Praça da Alfândega quando foi abordada por policiais do 9º Batalhão de Polícia Militar (BPM) que teriam recebido uma denúncia de expositores. Segundo a reclamação, a apresentação de Telma estaria reunindo muitas pessoas na Rua da Praia e atrapalhando a circulação de pedestres e visitantes do evento. Testemunhas disseram que a ação dos PMs foi violenta. Amigos e pessoas que assistiam a apresentação contaram que pelo menos 10 policias abordaram a escritora, que foi conduzida em uma viatura ao posto da Brigada Militar na Praça XV, no Centro da Capital.

Além de testemunhas, esteve no local o vice-presidente da Câmara Rio-Grandense do Livro, Osvaldo Santucci. Ele negou que a Câmara tenha acionado a polícia, mas confirmou que a apresentação não fazia parte do calendário oficial da feira e que algumas pessoas teriam reclamado do acúmulo de expectadores.

O capitão Marcelo Fernandes do 9º BPM, conversou com a escritora e com o representante da Câmara do Livro e disse desconhecer as denúncias de ação truculenta.

Cerca de 40 pessoas se reuniram para assistir Telma falar sobre sua condição de escritora. Ela teria emocionado o público ao revelar que precisou deixar seu apartamento porque estava com três meses de alguel atrasado. A performance artística questionava o sistema literário, o que pode ter incomodado representantes do mercado editoral. Telma disse, no entanto, que a crítica não foi a uma pessoa ou instituição em particular. A escritora contou que ficou constrangida com a ação da polícia.

Ouça o áudio: http://www.radioguaiba.com.br/Noticias/?Noticia=221522
Fonte: Sirlei Pastore / Rádio Guaíba

A “ação policial” já postado no YouTube:

Atualização – 16:45:

Polícia Militar impede a apresentação de grupo de Teatro de Rua na “Esquina Democrática”

Leia mais aqui no RS Urgente: http://rsurgente.opsblog.org/2010/11/14/teatro-de-rua-proibido-em-porto-alegre/

Felizmente isso está terminando.

2 pensamentos sobre “Atualmente no Rio Grande, cultura é caso de polícia.

  1. De vender livro nacional a preço de importado eles não têm vergonha. Já pensei varias vezes em tocar com amigos na rua, mas corro o risco de perder o instrumento né? e depois q uma coisa dessas acontece, reclamamos para quem?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s