Arroz transgênico: Brasil pode se tornar a cobaia do mundo

Arroz Transgênico

Entenda o que está em jogo

Dentro de poucos dias o Brasil pode se tornar a cobaia do mundo, ao permitir o plantio e o consumo de arroz transgênico não aprovado em nenhum país..

O pedido da empresa alemã Bayer está praticamente pronto para ser votado pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança – CTNBio. Trata-se do Arroz Liberty Link LL 601, resistente ao herbicida glufosinato de amônio (processo 01200.003386/200379).

Neste caso, até os produtores e a Embrapa Arroz e Feijão estão contra. Parece que só a CTNBio está do lado da Bayer. Como vai se posicionar o governo LULA?

Arroz com herbicida – riscos para a saúde

A modificação genética torna o arroz resistente ao herbicida de princípio ativo glufosinato de amônio e nome comercial Basta ou Finale (ambos da Bayer). Ou seja, não há nenhum benefício para o consumidor. Pelo contrário. Com a resistência ao agrotóxico, a pulverização se dará sobre toda a lavoura, inclusive sobre o próprio arroz, que não morrerá, mas absorverá o veneno, que irá também para os grãos.

O glufosinato é considerado tóxico para mamíferos e por este motivo será proibido na União Europeia a partir de 2017 por determinação do Parlamento Europeu [1]. Pesquisadores japoneses mostraram que a substância pode dificultar o desenvolvimento e a atividade do cérebro humano, provocando convulsões em roedores e humanos [2].

A Bayer é a empresa que mais vende agrotóxicos no Brasil e sua aposta no arroz transgênico visa ampliar ainda mais esse mercado. A venda casada com o glufosinato reforça a posição do Brasil como principal destino de produtos tóxicos não mais aceitos em outros países [3].

Problemas agronômicos – a posição da Embrapa

Em audiência pública, o pesquisador Flávio Breseghello, da Embrapa Arroz e Feijão, apresentou a posição oficial “autorizada pela presidência”, frisando que a empresa não é contra os transgênicos e nem contra a modificação genética do arroz, mas que neste caso o produto da Bayer “agravará os problemas já existentes”. “Não devemos usar tecnologias que terão validade de poucas safras”, disse Breseghello.

O principal entrave técnico enfrentado pelos produtores de arroz é o controle do arroz vermelho, espécie ancestral do arroz comercial, que compete com a cultura. A preocupação é a constatação de que a planta transgênica inevitavelmente cruzará com sua parente vermelha, dando origem a arroz vermelho transgênico resistente a herbicida. O arroz vermelho pode germinar após mais de anos de dormência no solo. Segundo Breseguello, “a contaminação é irreversível” [4].

(link para o vídeo completo, legendado em português: http://www.youtube.com/watch?v=71TXR2Adx4E)

Problemas econômicos – a posição dos produtores

Na mesma audiência pública, os representantes dos produtores de arroz também manifestaram sua preocupação. Receiam perder mercado interno e externo caso a variedade seja liberada. “Considerando que não existe consumo corrente nem mercado global para o arroz transgênico, concluímos que a entidade não é favorável nesse momento à liberação”, disse Renato Caiaffo Rocha, em nome dos produtores reunidos na Farsul e na Federarroz e do Instituto Rio Grandense do Arroz – IRGA.

Contaminação inevitável

Mais de 7 mil produtores de arroz processam a Bayer nos Estados Unidos por prejuízos sofridos pela contaminação de suas colheitas pelo arroz Liberty Link. A Justiça estadunidense já determinou o pagamento de mais de 50 milhões de dólares como indenização por danos materiais. A Justiça do estado de Arkansas determinou também indenização por danos morais por entender que houve má fé por parte da empresa [5].

Entre 1999 e 2001 a empresa realizou nos Estados Unidos testes de campo com o arroz modificado, mas não chegou a propor sua liberação comercial. A contaminação só foi descoberta cinco anos após a conclusão dos experimentos, quando o mercado europeu suspendeu as importações do produto. O Japão seguiu o mesmo caminho. Na ocasião, a empresa eximiu-se de qualquer responsabilidade pelo ocorrido, alegando tratarse de “circunstâncias inevitáveis, ato de Deus e negligência dos agricultores” [6].

Recentemente, um representante da Bayer no Brasil afirmou que o problema não está na contaminação, mas sim no fato de ela não estar prevista e regulamentada pelas leis de biossegurança. Para André Abreu, enquanto permanecer um regime de intolerância (sic) em relação à contaminação, problemas como esse continuarão acontecendo [7].

Falta transparência

Muitos questionamentos foram apresentados por pesquisadores, produtores e representantes da sociedade civil na audiência pública realizada em março de 2009, mas até hoje nenhum deles foi respondido. Não se sabe, por exemplo, o que a empresa pretende fazer para evitar a contaminação do arroz comum nem qual o nível previsto de resíduo de agrotóxico no grão. A CTNBio nega acesso aos dados apresentados pela empresa. Essa falta de transparência é prejudicial à participação da sociedade, à biossegurança e à saúde pública.

Falta isenção – a avaliação pela CTNBio

Até hoje a CTNBio aprovou todos os pedidos a ela submetidos. Nunca recusou nenhum. Suas decisões ocorrem por maioria simples, isto é, 14 de 27 votos.. Cabe destacar que é grande a controvérsia técnica dentro da própria Comissão. O melhor exemplo está no fato de que até hoje todas as aprovações tiveram votos contrários fundamentados dos ministérios da Saúde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Agrário. Anvisa e Ibama apresentaram formalmente recursos técnicos contra as liberações dos milhos LL da Bayer, MON810 da Monsanto e Bt 11 da Syngenta, mas o governo Lula delegou à CTNBio a decisão. Pior para todos nós que teremos produtos contendo esses milhos transgênicos, apesar da discordância da ANVISA e do IBAMA.

A falta de imparcialidade começa pelo próprio presidente da Comissão, que ao assumir o cargo no início deste ano já se declarou favorável à liberação do arroz transgênico [8], contra a rotulagem dos produtos [9] e a favor da exclusão do monitoramento dos impactos à saúde dos transgênicos. Antes de ser presidente, para defender a soja transgênica da Monsanto, Edílson Paiva, falando do glifosato usado na soja da Monsanto, chegou a dizer que os “humanos poderiam até beber e não morrer porque não temos a via metabólica das plantas” [10].

Alterações genéticas imprevistas

O método de transformação utilizado para o arroz Liberty Link foi o da aceleração de partículas (biolística). A biolística é um método de transferência direta que consiste em projetar transgenes dentro das células alvo através de partículas de ouro ou tungstênio cobertos com moléculas de DNA recombinante (transgenes) aceleradas por um sistema de propulsão por hélio. Neste método, há total descontrole do local da inserção dos transgenes nas células e genoma vegetal. O transgene pode tanto ser inserido no genoma nuclear quanto no DNA de organelas. Além disso, o número de transgenes também não é controlado. Várias partículas podem integrar-se no genoma e em diferentes lugares. Finalmente, a integridade do transgene (sua sequência genética) também pode não ser mantida, ou seja, o transgene pode integrarse no genoma de forma truncada, com deleções ou ainda com inserções de fragmentos de DNA da própria célula entre os transgenes.

No caso do arroz LL, nenhum estudo cientificamente robusto foi apresentado pela proponente a fim de confirmar o que foi inserido. Isto significa que sequer temos a certeza do que foi inserido, muito menos das conseqüências.

Durante a audiência pública, um participante mencionou a possibilidade de ter ocorrido deleção de um nucleotídio (Adenina) no local de regulação da expressão da proteína que confere a tolerância ao herbicida glufosinato de amônio. Posteriormente à audiência, a empresa admitiu a deleção, afirmando haver a alteração de um aminoácido na proteína. Essa alteração significa que a proteína produzida pelo arroz difere daquela produzida naturalmente pela bactéria Streptomyces, doadora do gene. No entanto, nenhum estudo foi apresentado a fim de investigar possíveis efeitos adversos na saúde humana e meio ambiente resultantes dessa alteração não intencional.

Ou seja, além da incerteza do que foi realmente inserido, ignora-se uma alteração genética detectada, mas não esperada. A proteína não perdeu a sua função de conferir a tolerância ao herbicida, mas pode gerar riscos não analisados.

A decisão está nas mãos do governo Lula

A Lei de Biossegurança (Lei 11.105/05) criou uma instância acima da CTNBio, o Conselho Nacional de Biossegurança, formado por 11 ministros e presidido pela Ministra Dilma Rousseff. O CNBS tem o poder de dar a última palavra em relação a uma liberação comercial de transgênico no país. Até o momento, a atuação do CNBS foi lamentável: deu razão à CTNBio e autorizou a liberação dos três milhos transgênicos que a ANVISA e o IBAMA recomendaram que não fossem autorizados.

A liberação do arroz LL tem também implicações econômicas bem graves, estando as principais entidades representativas dos produtores contra (Farsul, Federarroz e Instituto Rio Grandense do Arroz – IRGA). Como vai se posicionar o governo Lula: a favor da Bayer ou do Brasil?

Assinam este documento:

AAO Associação de Agricultura Orgânica, ABRANDH – Ação Brasileira pela Nutrição e Direitos Humanos, ACAN Associação Catarinense de Nutrição, AEPAC Associação Estadual dos Pequenos Agricultores Catarinenses, ANA Articulação Nacional de Agroecologia, ANAC – Associação Nacional de Agricultura Camponesa, ANPA Associação Nacional dos Pequenos Agricultores, APATO Alternativas para a Pequena Agricultura no Tocantins, APPA Associação Paranaense de Pequenos Agricultores, ARPA Associação Riograndense de Pequenos Agricultores, AS-PTA Agricultura Familiar e Agroecologia, Cooperfumos Cooperativa Mista de Fumicultores do Brasil Ltda., CONESANGO Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional de Goiás, CONSEASC Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional de Santa Catarina, CPCPR Cooperativa Mista de Produção e Comercialização Camponesa do Paraná Ltda., CPCRS Cooperativa Mista de Comercialização Camponesa do Rio Grande do Sul Ltda., FASE Federação de Órgãos para a Assistência Social e Educacional, FBSSAN Fórum Brasileiro de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional, FEAB Federação dos Estudantes de Agronomia do Brasil, FESANSMS Fórum Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável do Mato Grosso do Sul, FNECDC Fórum Nacional das Entidades Civis de Defesa do Consumidor, FOSANES Fórum de Segurança Alimentar e Nutricional do Espírito Santo, IDEC Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, Instituto Cultural Padre Josimo, MAB Movimento dos Atingidos por Barragens, MMC Movimento de Mulheres Camponesas, MPA Movimento dos Pequenos Agricultores, MST Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, PJR Pastoral da Juventude Rural, RECIDGO Rede de Educação Cidadã de Goiás, Terra de Direitos, Via Campesina.

Notas:

[1] EU Environment Ministers Keep Bans on Transgenic Maize. Environment News Service (ENS). http:// www.ensnewswire. com/ens/mar2009/2009030201. asp

[2] Nobuko Matsumura, Chizuko Takeuchi, Keiichi Hishikawa,Tomoko Fujii, Toshio Nakaki. Glufosinate ammonium induces convulsion through N-methyl-d-aspartate receptors in mice. Neuroscience Letters 304 (2001) 123125.

[3] Brasil é o principal destino de agrotóxico banido no exterior. O Estado de São Paulo, 30 de maio de 2010.

[4] A transcrição da audiência pública realizada em 18 de março de 2009 está disponível na página eletrônica da CTNBio, no endereçohttp://www.ctnbio.gov.br/index.php/content/view/13289.html

[5] Bayer ordered to pay farmer $1 million is tab for modified rice. Arkansas DemocratGazette, 10/03/2010.http://www.allbusiness.com/legal/tortsdamages/ 140796811. html ; Bayer to pay $1.5 mln in 2nd lawsuit over GM rice, Reuters, 05 de fevereiro de 2010. http://www.reuters.com/article/idUSLDE61421W20100205 e GM rice litigation: defense. Delta Farm Press, 04 de maio de 2010.http://deltafarmpress.com/rice/gmricelitigationdefense0504/

[6] Firm Blames Farmers, ‘Act of God’ for Rice Contamination. Washington Post, 22 de novembro de 2006.http://www.washingtonpost.com/wpdyn/ content/article/2006/11/21/AR2006112101265.html

[7] Mesa redonda sobre arroz transgênico. CTNBio, 19 de maio de 2010, Brasília.

[8] Novo presidente da CTNBio defende arroz transgênico. O Estado de São Paulo, 11 de fevereiro de 2010.http://www.estadao.com.br/noticias/geral,novopresidentedactnbiodefendearroztransgenico, 509722,0.htm

[9] Novo presidente da CTNBio se diz contra rotular transgênico. Folha de São Paulo, 11 de fevereiro de 2010.http://www1.folha.uol.com..br/folha/ciencia/ult306u692636.shtml

[10] Avanço da soja transgênica amplia uso de glifosato. Valor Econômico, 24 de abril de 2007.

Fonte:
AS-PTA Agricultura Familiar e Agroecologia

http://www.aspta.org.br/

Leia mais aqui:

Arroz Transgênico: Ser cobaia não é bom (Greenpeace)

Cancer Promoting Transgenic Rice (Institute of Science in Society)

7 pensamentos sobre “Arroz transgênico: Brasil pode se tornar a cobaia do mundo

  1. Prezados,

    Muito esclarecedora a matéria sobre o arroz transgênico. A maior piada é que, pasmem, o arroz vermelho (contaminante da lavoura) é comestível e suas propriedades nutricionais são melhores que as do arroz branco e a palatabilidade é a mesma. Qual o problema então? Para que utilizar pesticida no arroz, mesmo no não transgênico?

    Simplesmente por uma questão estética cultural. Não seria o caso de fazer uma campanha para a população aceitar o arroz misturado sem agrotóxico?

    Abraços,

    Adoro o blog de vocês!

  2. Bom, alimentos transgenicos tem que ter na embalagem um aviso não?
    Se tem, não vejo problema, quem quer, que coma.
    =D

  3. Não adianta em nada todos os movimentos sociais brasileiros contra qualquer ação detrimentosa por parte de empresas ou governos. Não temos capacidade organizacional até o presente para protestarmos com veemência contra nossos algozes e conseguirmos êxito. O Brasil já é um campo de concentração sob vários aspectos negativos e perigosos, onde são, por exemplo, assassinados por total omissão do Estado brasileiro mais de 250 mil pessoas anualmente e por este real e presente motivo é que já somos cobaias do mundo quando o assunto são os transgênicos e a violência que também gera lucros em Wall Street. O mais perigoso são os óleos que estão na mesa de todos os brasileiros desinformados, sendo em sua maioria todos transgênicos, indo parar direto nas artérias, corrente sanguínea. É sabido que em testes de laboratórios, realizados anos atrás, todas as cobaias envolvidas, todas, desenvolveram tumores. Ocorreu a denúncia, mas em nada adiantou e quem se ferrou foi quem denunciou. Os transgênicos avançam, a Monsanto lidera, a corrupção impera e ai daquele que se opuser. Agora imaginem esta indústria assassina em nome de governos e seus laboratórios farmacêuticos, o quanto irão lucrar em cima das doenças que ocorrerão em um curto período e onde milhões de pessoas serão vítimas certas e já a caminho desta tragédia assessorada diretamente através do consumo desenfreado e sem controle sobre a lavoura brasileira que é campeã em uso de agrotóxicos, inclusive os banidos no mundo. O Brasil e brasileiros estão perdidos porque alertas estão sendo dados e nossos amáveis e cuidadosos governos em detrimento a sociedade brasileira em geral, não estão nem aí, e continuará assim até que os brasileiros vão sendo exterminados gradativamente e silenciosamente. Neste continente ou país como queiram é impossível movimentos sociais darem certos devido nossa fragmentação social. Portanto digo e repito: ou o Exército Brasileiro toma conta do Brasil e dos brasileiros, ou estaremos perdidos e sem futuro sólido. Criticam a Ditadura Militar, masa podre mídia brasileira não mostram abertamente que depois do fim da Ditadura Militar em 1984 já foram assassinados no Brasil mais de um milhão e duzentos mil brasileiros a bala. Abaixo as ditaduras atuais que imperam no Brasil em detrimento a todos os brasileiros que ainda se iludem com a democracia para ricos que achatam todos através de dantescas cargas tributárias com retorno zero vírgula um para isto ou zero vírgula cinco para aquilo e trinta e cinco por cento para banqueiros que financiam as empresas dos transgênicos, agrotóxicos e destroem uma nação inteira com seus meros governos de quinta categoria subservientes e fantoches destes canalhas que não dão a mínima para todos os cidadãos analfabetos políticos e políticos corruptos brasileiros. Botam pra quebrar com a total conivência total dos Gerentes do Estado brasileiro, e nós que estamos no meio é que levaremos a pior, todos veremos em breve se o que escrevo aqui é em vão. Ontem vi rapidamente na podre mídia aberta brasileira, indiretamente tratarem e gozarem os movimentos de conscientização feitos através da internet como micro revoluçõezinhas.. É uma afronta e mais uma guerra contra a conscientização que é levada ao massacrado cidadão brasileiro, apático, impotente e ainda louco em sua válvula de escape, por cerveja, carnaval e futebol, através da importantíssima internet, isto, desde que seja usada pelo o povo e jamais para o povo.

    • Washington Teotônio, pregar um retorno aos tempos ditatoriais é mais que um equívoco, é uma contradição ao que pregas.
      Como terias oportunidades de expor tuas opiniões discordantes, assim como nós também fazemos, em um regime ditatorial?
      Já passamos por isso e sabemos bem no que deu.
      Criamos uma geração de cidadãos omissos.
      Mas dizer que vivemos em uma ditadura, uma ditadura econômica, concordamos plenamente e lutamos para conscientizar mais pessoas sobre isso.

  4. NÃO QUIS OFENDER O ORGULHO DE NINGUÉM, MAS EM TODO CASO OBRIGADO PELA OPORTUNIDADE.

    O que está registrado na história do Brasil e que é sabido, é que foi um grande período de desenvolvimento para a economia e nação brasileira, a época da adorável Ditadura Militar. Como também é público e notório que foi tudo jogado na latrina pelos pseudos governos democráticos pós ditadura militar (1984). Derrubada através de um golpe capitalista elaborado pelos estadunidenses, como sempre, e apoiados pelo monopólio da imprensa brasileira e intelectualóides da época, conseguindo manipular até o presente a opinião pública quanto a aceitar tudo o que não presta no quesito política e achar que está tudo ótimo. Isto além de destruírem através de privatizações que só deram erradas em todo o mundo somente no Brasil, tendo seu ápice no governo FHC, que sem nenhum plebiscito nacional popular consultou os brasileiros para saber se concordávamos com tais privatizações, configurando crime de lesa-pátria por parte daqueles mentores criminosos que ainda continuam impunes, livres e sorridentes, e que contribuíram para o sucateamento das nossas indústrias e mineradoras, entregando-as ao controle de outros países, através de beneficiamentos escandalosos e isenção de impostos, levando as multinacionais e bancos estrangeiros a deterem em seu poder 75% da economia brasileira, destruindo e monopolizando desta forma todo o nosso potencial econômico, e deixando uma nação inteira a mercê dos chacais da economia mundial que querem mais é que o Brasil e os brasileiros se arrebentem cada vez mais.
    Na época da ditadura militar tínhamos o direito de ir e vir com segurança em nossas capitais e atualmente este direito está comprometido até nos distritos de pequeníssimas cidades brasileiras. Nosso índice de criminalidade que na época da Ditadura Militar contabilizava os preocupantes e estarrecedores 10 mil assassinatos à bala anualmente, hoje na democracia para ricos, passaram para 200 assassinatos por dia o que contabiliza 73 mil assassinatos por ano e a podre imprensa brasileira complacente divulga bem menos e alega que está tudo sob controle, isto para encobrir uma das piores e silenciosas guerras civis da atualidade, tudo a vistas grossas da ONU que além de ser sediada nos EUA é mentora e cúmplice da nossa tragédia porque não pode interferir em um problema que gera lucro em Wall Street. Além de terem o apoio direto pela incapacidade de governar de nossos corruptos e subservientes gerentes que atolados até a medula em um mar de lama; que também atinge quase todos os brasileiros que a vivenciam atualmente chegando milhões a acharem que a corrupção que aí está é algo normalíssimo e que viver com dignidade através do trabalho honesto e justo é sinônimo de ser otário, viram a cara para o outro lado. Mas só estão satisfeitos com todas nossas tragédias e desgraças administrativas, os milhões de criminosos que se locupletaram direto ou indiretamente através de vários crimes econômicos contra a nação brasileira, uma minoria astuta e fria, neste caso. E assim vão construindo a tragédia que aí está.
    Na época da Ditadura Militar existia corrupção? Existia. Isto pelo erro do Exército não ter dissolvido o Congresso e o Senado e acabado com as mordomias e enjaulados os que mereciam, e ainda que continuam tirando proveito dos cofres públicos até o presente. O Brasil tem um Senado presidido por um sujeito direito e honrado e que não tem ninguém desonesto em sua família, falo do José Sarney, seria ótimo que fosse assim. Mas a realidade é que ele é o patriarca de uma família denunciados e descarados ladrões dos cofres público brasileiro escancaradament, e a conivência de muitos, inclusive do judiciário que dá cobertura a tudo o que não presta, os deixando gerenciarem o nosso país e saírem impunes de seus crimes. No governo militar, os escândalos chegarem a aproximadamente 25, já na época dos governos posteriores, foram aumentando gradativamente e no governo anterior ao da atual gerente do Brasil a Sra. Dilma, parei de contar em 140 escândalos que envolviam corrupção, foram bem mais. Mas está tudo uma maravilha para uma minoria que se beneficia sorrateiramente com toda a sujeira que aí está em detrimento aos seus compatriotas. A corrupção, meu caro, aqui no Brasil está em índices inimagináveis pela sociedade brasileira. Denúncia proferida por um delegado da Polícia Federal brasileira.
    Na época da Ditadura Militar, a droga da moda no Brasil, era a maconha, cocaína era para a elite. Hoje em dia, meu caro, maconha é coisa do passado, porque o que está na moda é anfetamina, barbitúricos, cocaína, ectase, crack, oxi, merla e uma porrada de outras merdas que dominaram o Brasil por completo pela omissão total do Estado brasileiro que não tem mais solução para o crescente problemaço que se tornou as devastadoras substâncias que está destruindo toda uma juventude e familiares envolvidos, comprometendo o futuro da nação brasileira, que enveredou por este perigosíssimo caminho apoiado por nossos adoráveis governos democráticos, capitalista e sangrento, pós ditadura Militar. Caminho este aberto através do consumo liberado da droga número um e que está dentro quase que totalmente de todos os lares brasileiros, o terrível e devastador ÁLCOOL DESTILADO, liberado e vendido a todos e em qualquer lugar a preços irrisórios, inclusive a crianças menores. Bem que eu ache que em qualquer idade o ÁLCOOL DESTILADO, é um perigo total e real. Mas nossas políticas e políticos democráticos só visam a gigantesca arrecadação de impostos sobre o ÁLCOOL DESTILADO ou FERMENTADO, e todas as drogas que movimentam juntos bilhões em lucros diretos ou indiretos repassados através da endêmica corrupção, a todos os patifes, canalhas e traidores que jogaram os brasileiros dentro deste moderno e globalizado campo de concentração Brasil, tudo em nome do desenvolvimento que há quinhentos anos deu no que aí está. Não é brincadeira a quantidade de famílias que estão tendo problemas com tóxicos, entorpecentes, drogas farmacêuticas, álcool destilado ou fermentado, hoje em dia no País ao bel prazer de mafiosos. Este gravíssimo problemaço repercute diretamente nos estudos e formações acadêmicas de péssima qualidade, salvo raríssimas exceções, e que em futuro não muito distante levará nossa criada sociedade egoísta e fria, a ser, se é que já não somos uma África, com nossos gravíssimos problemas internos e que nunca interessará ao restante do mundo, não atualmente, ainda geramos lucros a muitos. Como exemplo as estatísticas já mostraram que nas guerras civis existentes e não só no continente Africano, mais em vários países atualmente, se homicidou em anos menos do que se homicidou no Brasil em um ano, especificamente em 2010 (55 mil assassinatos). E haja carnaval, olimpíadas, copa do mundo, samba, futebol, bebidas e drogas.
    Isto sem entrar em detalhes sobre nossa falida educação e saúde públicas, que só estão da forma que estão porque está tudo privatizado há anos. Imaginem se privatizarem o resto do resto que resta.
    Censura sempre teve neste país, meu caro. Mas atualmente ela é manipulada em detrimento a nação, bem pior que era antes da Ditadura Militar, onde havia manipulação, mais o país teve desenvolvimento, ordem e progresso. Pesquise, escute e analise Salete Ramos e Alexandre Garcia, através do youtube. Adianto que ambos foram demitidos, Salete Ramos por denunciar o esquema criminoso dos bancos e Alexandre Garcia por falar a verdade sobre os índices da violência em nosso país. Não só temos uma ditadura em andamento atualmente no Brasil, existem outras além da econômica. Existem a ditadura civil, a ditadura social, a ditadura cultural, a ditadura educacional, a ditadura regional, todas em detrimento a nação e território brasileiro.
    Portanto, se para que minha boca seja lacrada e eu não possa dar mais nenhuma opinião em prol do que seja realmente o melhor para o Brasil e brasileiros, que precisam urgentemente de organização social e política isentos da canalhada e monopólios corruptos que aí estão, eu tenha que silenciar para sempre, silenciarei. Porque o que importa é a ordem estabelecida nas fronteiras, na sociedade, na política, na economia; o que importa são nossos criminosos e ladrões do dinheiro público serem punidos severamente com trabalhos forçados e prisão perpétua, já quanto ao criminoso doloso comprovado, execução; o que importa é termos a corrupção banida do nosso grande território com sua minúscula e improdutiva população, que por sinal já desperta o perigoso interesse de outras nações em nosso abandonado território justamente pelos péssimos maus governos democráticos pós Ditadura Militar, que nunca souberam trilhar caminhos reais em prol de um desenvolvimento sólido para seu povo; o que importa é um desenvolvimento realista e não hipócrita que prepare emergencialmente um Brasil para nossos sucessores abrangendo desde a esfera familiar até a econômica e política. E não este natural egoísmo sujo e podre que esta fazendo parte do subconsciente coletivo da sociedade brasileira, como sendo algo normalíssimo e honrado, e onde quem leva a pior somos todos nós e mais ainda nossos netos e bisnetos que virão.
    Que nossa inútil liberdade de expressão pós Ditadura Militar, vá para o sexto dos infernos, o quinto está lotado, mas que o país tenha um futuro honrado, decente e melhor, com o Exército, Aeronáutica e Marinha a frente da nossa atual decadente, perdida e sem futuro sociedade e território brasileiro.

  5. Vocês a partir da não publicação do essencial e penúltimo comentário, irão fazem parte da lista negra dos péssimos blogs que existem no Brasil, uma vez que, iniciam um debate e não o conclue. Vale salientar aqui para os criadores deste espaço que interligados estão a Política, Ciência e Religião. A matéria será publicada e os comentários também, principalmente o penúltimo. Deixarei os leitores tirarem sua conclusões.

    • Washington Teotônio, este é apenas um Blog.
      Não um fórum para discussões, especialmente para defender regimes autoritários e práticas antidemocráticas! Comentários podem ser postados, mas temos o direito de aprovar ou não. Convenhamos, um comentário do tamanho que enviaste antes, sem entrar na avaliação do conteúdo, é totalmente despropositado para uma postagem que trata de “arroz transgênico”.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s