Mais apoios: “NÃO ao Pontal!”

Atualizado em 20/8/2009

Bibiana Graeff Chagas Pinto – Mestre em Direito Ambiental pela Sorbonne, Doutora em Direito pela Sorbonne e pela UFRGS, Professora Substituta da Faculdade de Direito da UFRGS:

Pela defesa de uma PORTO ALEGRE exemplar em matéria de urbanismo e meio ambiente, assuntos tão sensíveis e ESSENCIAIS nesse início de século XXI, é que venho me manifestar, em apoio ao NÃO a construções residenciais na área do “PONTAL DO ESTALEIRO”. Erros do passado não justificam erros do presente. TEMOS a chance de fazer algo melhor, temos ainda a OPORTUNIDADE DE LUTAR pela ORLA DO GUAÍBA. Por isso, essa votação, esse debate sobre o pontal, são HISTÓRICOS, e vão marcar o destino da cidade de Porto Alegre, como sendo uma CIDADE DIFERENTE, PRA FRENTE, CONSCIENTE DO QUE HOJE NESSE MUNDO TEM MAIS VALOR, ou de uma cidade ATRASADA… cometendo erros que foram cometidos por outras cidades, há trinta, vinte, ou dez anos atrás…

Rualdo Menegat – Professor da UFRGS, Doutor em Ecologia de Paisagem, Coordenador do Atlas Ambiental de Porto Alegre:

Desfigurar o cenário paisagístico da margem do Guaíba é um delito impensável que acabará por descaracterizar nosso amálgama cultural e dificultar a gestão ambiental desse corpo d’água imprescindível para os habitantes de Porto Alegre. Privatizar a paisagem do Guaíba é retirar da cidade seu direito de dispor do seu mais importante bem ambiental e dos laços que a unem, por meio dessa paisagem, a todo o seu passado.

Professor Garcia – secretário do Meio Ambiente de Porto Alegre:

Hotel não tem mercado para toda orla, edifícios residenciais tem mercado para toda orla. Edifício é o grande filé , e o meio empresarial fica de olho…

Estou incentivando o “Não”. E vou aproveitar este espaço para votar “não”. Não se desmobilizem, cada voto é importante. Seu voto é decisivo para esse processo! (em entrevista ao programa “Cidadania Ambiental”  na Rádio Ipanema Comunitária)

Carlos Urbim – jornalista e escritor:

Cravaram antes um muro da vergonha no coração da cidade. Mataram, para quem passa por ali, a visão da água. Depois estreitaram o caminho fluvial para plantar asfalto e concreto administrativo. Deixaram, ao menos, um rastro de verde no Parque Marinha. Agora, por absoluta ganância, querem invadir a ponta do  estaleiro. Porto Alegre não merece tanta agressão. O Guaíba, estrangulado, precisa respirar. E todos os moradores querem aproveitar – sem muros, barreiras e espigões – a beleza única do nosso estuário.

Luiz Antonio de Assis Brasil – escritor:

O Guaíba não nos pertence; ele percence à História e pertence ao Futuro. Temos de honrar esse compromisso de um espaço do qual somos mero detentores. Votar pelo NÃO é ter consciência de que a Natureza, como bem comum, não pode estar sujeita aos transitórios equívocos de nossas fraquezas.

Mirna Spritzer – atriz de cinema e teatro:

Votar Não é dizer sim ao Guaíba, ao por do sol, às pessoas e a Porto Alegre.

Círio Simon – professor e ex-diretor do Instituto de Artes:

Aos doze anos tomei banho no GUAIBA na PRAIA de BELAS em frente ao PÂO dos POBRES. Não me fez mal, pois cheguei  – lúcido e satisfeito- aos 73 anos. A poluição não atingia as águas do rio. Havia o trem para a Tristeza que levava a poluição bem longe e para lugar seguro.

Por que não se pode fazer isto por meios mais modernos do que uma velha Maria FUMAÇA?

Em vez de projetos adequados e coerentes para esta solução dentro dos parãmetros contemporâneos … joga-se para a população se dividir …  projeto de ocupar  o lugar do ESTALEIRO SÒ – que era um templo de trabalho e bem comum – Este lugar NÃO PODERÁ se transformar em um instrumento para exercício de avareza  para alguns privilegiados  e a desgraça de toda população da capital e do estado.

Néstor Monasterio – ator e diretor teatral:

Desde que eu cheguei por estas terras (1977) assisto (e as vezes participo) de lutas por derrubar o muro da Mauá que separa o Porto do Alegre,  que afasta o porto-alegrense do seu rio, que impede que desfrutemos o pôr-do-sol… luta antiga. Vejamos se eu entendi bem: no dia 23 de agosto terá um plebiscito sobre si queremos quer esse muro seja aumentado? Que mais muros (sejam da forma que for) nos separem do Guaíba? E depois virá mais o quê? Um super-mercado na praia de Ipanema? Uma revenda de carros na Vila Assunção? O progresso tem que ser para os seres humanos e não para as empresas. Construir cidadania e não muros. Defender a natureza e não o lucro que jamais voltará em nosso benefício. Vou votar não.

Plenária_Amovita

Entidades populares se mobilizam para votar NÃO!

Novos apoios ao Movimento em Defesa da Orla do Rio Guaíba que prega o VOTE NÃO na “consulta pública do dia 23 de agosto:

  • Associação Comunitária do Campo da Tuca,
  • AMFA: Associação de Moradores Fim da Linha do Alameda – Bairro São José
  • Comissão de Moradores da Rua da Represa – Bairro São José
  • Associação Clube de Mães Batista Xavier – Bairro Partenon
  • Associação de Moradores Quinta do Portal – Bairro Lomba do Pinheiro
  • Associação de Moradores da Vila São Pedro – Bairro Partenon
  • Associação de Moradores Estrela Cristalina – Bairro Partenon
  • Associação de Moradores Paulino Azurenha – Bairro Partenon
  • Pequena Casa da Criança – Vila Maria da Conceição

Essas entidades populares também estão esclarecendo as pessoas de suas regiões sobre a ameaça que representa esse projeto imobiliário para o Meio Ambiente e para a cidadania de Porto Alegre

Aqui: Mais apoios para o NÃO ao Pontal do Estaleiro!

Um pensamento sobre “Mais apoios: “NÃO ao Pontal!”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s