Universitários também estão CONTRA o projeto Pontal

Artista plástica Zorávia Bettiol fala aos manifestantes nos jardins da Câmara Municipal.

Artista plástica Zorávia Bettiol fala aos manifestantes nos jardins da Câmara Municipal.

Na noite do dia 28, um pouco após a palestra na FABICO/UFRGS, foi noticiado que a liminar que impedia a votação do projeto Pontal do Estaleiro havia sido cassada.

Isso motivou o Fórum Municipal de Entidades a manter a mobilização na Câmara de Vereadores, pois a data agendada para sua votação era essa quarta-feira, 29 de outubro. Por decisão da Câmara não foi feita a votação, segundo foi dito no plenário “não havia ambiente político para isso”.

Ainda no dia 28 os estudantes universitários tinham acertado uma caminhada que saindo da Faculdade de Arquitetura chegaria na Câmara de Vereadores no horário de início da sessão, 14h.
Lá eles juntaram-se a participantes de entidades ambientalista e de associações e movimentos de moradores da cidade para exercer legítima pressão política e expressar com veemência seu desagrado ao projeto e questionar a maneira como esse assunto está sendo tratado no legislativo municipal.

Os participantes do Fórum das Entidades e estudantes ocuparam os lugares do plenário em companhia da vereadora eleita Fernanda Melchionna (PSOL) e após debateram o assunto na área externa da Câmara, sendo decidido manter mobilizações para acompanhar e divulgar melhor o que está acontecendo e exigir maiores discussões sobre o projeto.

Representantes de entidades de moradores, ambientalistas e estudantes universitários marcaram presença nas galerias da Câmara Municipal.

Representantes de entidades de moradores, ambientalistas e estudantes universitários marcaram presença nas galerias da Câmara Municipal.

Só que ao retornarem ao plenário não foram tão bem recebidos como quando do início da sessão. Seguranças da casa quiseram impedir o acesso, alegadamente por estarem gritando palavras de ordem e por portarem um megafone e um tambor. Foi usada indesejável violência com empurrões e tentativa de fechar as portas para impedir o acesso ao plenário.

Após alguns minutos de extrema confusão o presidente da casa, vereador Sebastião Melo, dialogou com os presentes e agendou, a pedido da vereadora eleita Fernanda Melchionna, uma reunião para tratar do projeto Pontal do Estaleiro na próxima segunda-feira, dia 3 de novembro.

Fonte e fotos: Blog Amigos da Rua Gonçalo de Carvalho



Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

4 pensamentos sobre “Universitários também estão CONTRA o projeto Pontal

  1. Valeu. Vamos à vitoria. Precisamos de mais gente ainda, é claro. Vamos aumentar naturalmente este número.
    Força, minha gente.
    Vocês são demais!

  2. Ambientalistas!
    Desculpe minha ignorancia, mas gostaria de compreender o porque da posição contrária de vocês nesse projeto.
    Eu entendo como sendo algo essencial para o desenvolvimento da cidade.
    Me expliquem, por favor.

  3. Cristiano,
    Não sei se chegastes a ler as postagens anteriores do Blog que falam sobre nossas motivações.
    Mas por teu questionamento, imagino que não.

    Leia:
    https://poavive.wordpress.com/a-polemica-da-orla-do-guaiba/

    As posições do IAB/RS e do Sindicato dos Engenheiros do RS também merecem ser lidas com TODA a atenção:
    https://poavive.wordpress.com/2008/10/22/iab-rs-e-o-pontal-do-estaleiro/
    https://poavive.wordpress.com/2008/10/17/sindicato-dos-engenheiros-alerta-sobre-a-privatizacao-da-orla/

    e essa matéria no site de arquitetura VITRUVIUS:
    http://vitruvius.com.br/minhacidade/mc234/mc234.asp

  4. Cristiano,

    penso que um dos teus primeiros erros está em se referir a nós como “ambientalistas”.

    O grande problema do Pontal não é simplesmente o de “agredir o meio-ambiente”. Toda atividade humana, toda mesmo!, tem um impacto sobre o meio-ambiente, portanto o que defendemos é que as intervenções do porte deste projeto sejam ESTUDADAS e MEDIDAS antes de mais nada, para que julguemos se o seu impacto final, combinado com seus benefícios e seus malefícios compensam sua implantação.

    Mas o que estamos criticando NESTE MOMENTO (ato na câmara) é o PROCESSO! Ele está atropelando totalmente a ordem das coisas ao propor a votação de um projeto especial na câmara sendo que não foram feitos NEM ESTUDOS DE IMPACTO URBANÍSTICO e de DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO!

    Ora, afirmas pensar ser esta uma obra fundamental para o desenvolvimento da cidade, porém uma visada sobre o traçado urbano da região demonstra que, se consagrada esta tipologia de ocupação (que se estenderia por toda a orla!), as vias das imediações NÃO COMPORTARIAM o fluxo de carros! Isto, para mim, não é desenvolvimento! Isso é crescimento desenfreado e inescrupuloso.

    Eu sou estudante de arquitetura e urbanismo, membro do diretório acadêmico e participante ativo na construção deste movimento e sou SIM à favor do desenvolvimento da cidade, desenvolvimento este que deve estar dentro de um plano de crescimento da cidade! Dentro de um plano diretor!

    Caso passe esta votação, poderemos jogar o plano diretor no lixo, pois QUALQUER coisa poderá ser feita por projetos especiais e a cidade vai crescer para onde as Empreendedoras julgarem que ela deve crescer, e isto é “fazer cidade” em nome de UNS, e não de todos.

    Grande abraço,
    André Ripoll

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s