A altura dos prédios novos vai mesmo baixar?

VEJAMOS O QUE O NOVO PLANO DIRETOR (AINDA EM EXAME PELOS VEREADORES) REALMENTE PROPÕE…

Embora o Secretário de Planejamento e o Prefeito não se cansem de repetir que o anteprojeto do novo Plano Diretor, enviado à Câmara para exame e votação, baixou as polêmicas alturas dos prédios, vale a pena examinar com cuidado essas novas alturas propostas e pensar se elas são adequadas às necessidades da população, atuais e futuras.

Vejamos:

Pelo atual Plano Diretor (vigente desde 2000), pode-se construir até 52m de altura, 18 andares, em todo o bairro Petrópolis – onde está sediado o Movimento Petrópolis Vive. A exceção é o perímetro das Áreas de Interesse Cultural.Mapa - Anexo 1

No mapa – Anexo 1.1 do Projeto enviado à Câmara – vêem-se os dezenove bairros da região central. As cores indicam, conforme a legenda, os novos índices propostos para a altura máxima das edificações, com a informação dos recuos compatíveis. Nas grandes avenidas, permanece a altura máxima de 52m, ou seja, 18 andares. Na área de Petrópolis, estão previstas as alturas de 33m e 42m, respectivamente 11 e 14 andares.

Antes de festejar que as alturas baixaram, porém, deve-se observar que o Art. 52 do Projeto, no seu parágrafo 7, prevê explicitamente o aumento desses índices, se o construtor comprar índices construtivos:

§ 7º Na aquisição de Índices Adensáveis (I.A.) oriundos da transferência de potencial construtivo, as edificações da Macro-Zona 1 poderão ter altura superior ao estabelecido no regime volumétrico do Anexo 1.1, conforme tabela abaixo:

 

Tabela Alturas

 

Como se vê, onde o mapa indica 11 andares poderão vir a ser 14, e a área onde no mapa se prevê prédios de 14 andares poderá ter licenciados prédios de 18 andares (como é no Plano Diretor atual). Basta comprar índices construtivos!! Essa “redução nas alturas” é significativa?

Como se sabe, Petrópolis foi assolado por solo criado e índices construtivos resultantes da construção da terceira perimetral. E, pelo que o Projeto está prevendo, esse processo continuará.

Se Petrópolis já está com densidade construtiva excessiva, se os moradores têm garantia de infra-estrutura de qualidade – a saber: esgotos, água, iluminação, tráfego compatível com suas vias, arborização de acordo com seu perfil, resguardo de excessos de barulho – a Prefeitura nunca respondeu. E, pior, isso não entra em consideração na hora de um novo licenciamento. Aliás, está documentado o caso da Rua Corte Real – com um empreendimento de 140 apartamentos – onde a Prefeitura se recusou a analisar o tráfego e a infra-estrutura, por “não ser caso obrigatório nas regras do Plano Diretor”, logo ela não está obrigada a responder aos munícipes.

As chances de participação da revisão do Plano Diretor no âmbito da Prefeitura foram dominadas pela construção civil, mas agora na Câmara está aberta a oportunidade de participação efetiva mais ampla.

Está instalado e se reunindo regularmente às quartas-feiras, às 19h, um Fórum de Entidades junto à Câmara, aberto a novas inscrições. Podem participar representantes de entidades como ONGs, Associações profissionais, de classe, de moradores, de comerciantes, etc, até mesmo Movimentos sem existência formalizada, mas comprovada através de um blog ou reportagens em jornais de bairro.

Basta enviar uma mensagem para forumpddua@camarapoa.rs.gov.br

É ano eleitoral; Até mesmo um indivíduo isoladamente pode acessar o site da Câmara, www.camarapoa.rs.gov.br e enviar mensagens aos vereadores, se expressando livremente.

Os vereadores estão dizendo que apreciarão o projeto do novo Plano Diretor até o mês de maio, por isso, não espere muito.

A construção civil está em expansão gigantesca. Quais as mudanças sobre a paisagem, o meio ambiente, a cultura e a qualidade de vida dos habitantes de Porto Alegre? Quem pagará as conseqüências do desplanejamento?

Movimento Petrópolis Vive/Janete Viccari Barbosa

16 pensamentos sobre “A altura dos prédios novos vai mesmo baixar?

  1. Blog muito bom, pessoal.
    Boa sorte nas brigas de vocês. Não desistam porque valem muito a pena.

    abraço,
    mestre – tarjaverde.wordpress.com

  2. A cidade precisa crescer de alguma forma.
    Se é pra limitar a altura, que se facilite a construção em zonas periféricas como o extremo sul.

    E que Porto Alegre se torne uma mega-cidade, do porte de Rio e São Paulo. Sim ao desenvolvimento e ao crescimento.

    Não à mediocridade e ao provincianismo de querer castrar o desenvolvimento da cidade e querer que ela seja província.

    POA já é uma cidade muito grande. Que ela se torne gigantesca! Tem espaço pra isso.

  3. poa precisa derrubar esses tal ”predios historicos” no centro da cidade, são feios, horriveis! estão estragando a imagem da cidade ! precisa construir predios grandes e modernos, porto alegre é a principal capital do sul do brasil, é a capital de movimenta o sul, e como uma cidade desse porte estão feia assim? compredios velohs caindo aos pedaços! tenque construir mais predios e outros no lugar dessas antiguidades horriveis! e construir predio muito altos e modernos, para chamar a atenção da cidade, vai ficar mais bunita e maior, poa precisa creçer para ser mais bonita e ser reconheçida por arranha-ceus modernos, isso seria um cartão postal da cidade!

    vamo poa ! vamo creçe em vez de fica na mesma querendo preservar essas coisas historicas horriveis que estão estragando a cidade !

  4. Lucas, para Porto Alegre crescer o fundamental é investir mais em educação e cultura, não em prédios grandes e de “beleza” muito questionável…

  5. disto eu sei, mas estou falando da altura dos prédios, é o que está sendo comentado aqui, eu dei minha opinião sobre isto, falei de como melhoraria a paisagem de Porto Alegre que está feia, claro que sei que para crescer tem que investir em educação e cultura, mas esse post não está falando sobre isso, então dei minha opinião sobre os prédios e a paisagem da cidade em visão disto

    • Lucas,
      melhorar a paisagem do Porto Alegre não passa pela derrubada de prédios históricos e pela construção de espigões. Isso é uma visão distorcida do mundo real. Por isso entendemos que o fundamental é educação e cultura.
      Achas que uma cidade verticalizada seria mais bonita que uma cidade como Paris, por exemplo?
      Precisamos de uma cidade para vivermos com qualidade de vida, não para tirarmos fotografias de “skyline”…

  6. então se não gosta da opinião das pessoas sobre o próprio assunto do post, sobre a altura dos prédios, então tira isso e coloca algo sobre a educação, o que adianta colocar um post sobre a altura dos prédio então?

    • Leia com atenção o texto do “post”.

      Ele trata da Revisão do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano e Ambiental de Porto Alegre. Não se trata de questões estéticas, que cada um tem a sua opinião. O “post” trata básicamente da qualidade de vida, pois com mais prédios altos, menos insolação, mais congestionamentos de trânsito (mais veículos circulando em uma área que antes era ocupado por poucas pessoas) mais densificação, problemas no esgotamento sanitário, etc, piora a qualidade de vida de uma cidade.
      Um “espigão” não é apenas mais um prédio alto, é uma série de problemas (inclusive estéticos) para a cidade.
      O bairro Petrópolis é um dos maiores exemplos disso!
      Mas, infelizmente, não é o único…

  7. Eu acho q a cidade tem que crescer portanto, não acho que deveria baixar o limite de altura dos prédios, e sim aumentar para 60m, pois a cidade tem que crescer, e é muito melhor construir um prédio alto e bonito com jardins ao lado, do que blocões de 6 andares e ocupar uma quadra inteira!

  8. Durante muito tempo porto alegre foi se espandindo e cresendo para os lados.
    Tá mais do que na hora de porto alegre crescer para cima,levantar a cidade para o ceu sem se prender a essa estupida e ridicula mentalidade pequena e conservadora de algumas pessoas que só atrapalham o desenvolvimento urbano da cidade.

  9. Por favor, vamos ficar mais atentos! Cidades que investem na verticalização se desenvolvem mais na economia e acabam tendo retorno social por isso. Mais espaços; mais empresas, mais empregos, mais consumo e mais arrecadação. Esses elementos econômicos contribuem para que as periferias recebam investimentos. Afinal, a periferia não tem dinheiro, correto? O dinheiro precisa vir da economia que produz. Onde está essa economia que produz? Nas empresas e seus integrantes. Vocês estão festejando prédios mais baixos; isso é o fim! Porto Alegre é metrópole, não é cidade pequena e rural. Maior desperdício grande avenidas com vias de circulação enorme com prédios de 4 andares. Lamentável; isso só desvaloriza a região, encarece o valor real do imóvel e deixa visualmente feio o cenário. Bonito, não, o skyline de Nova York, não acham? Reflitam! Vamos deixar nossa cidade bonita. Além do mais, 18 andares é o minimo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alteração )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alteração )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alteração )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alteração )

Conectando a %s